Com curadoria de Carlos Casteleira, de 26 de Setembro a 18 de Outubro 2019 estará patente no Centro de Artes Denison, associado à Universidade de Denison, Newark, EUA, uma exposição do Projecto Entre Serras - Rede de arte contemporânea entre agricultura e biodiversidade (PES).

Na continuidade histórica de uma arte diretamente relacionada com a ecologia, o PES desenvolve-se no território raiano do centro da Península Ibérica, uma fronteira quebrada ao longo dos séculos por pastores e produtores de têxteis que teimosamente sulcaram a “rota da lã” no contínuo montanhoso, moldando de forma idêntica os povos de ambos os lados, mais perto entre si que dos respetivos centros de decisão nacionais. O PES pretende estabelecer relações entre as comunidades e questões ecológicas, desenvolvendo obras alicerçadas no vivo, no espaço e no tempo. Desde 2017 empenhado em criar uma rede de arte contemporânea no referido território, o PES vai estabelecendo parcerias que permitem a realização de uma nova edição cada ano, tendo já envolvido artistas e académicos de Portugal, Espanha, França, Brasil e Ecuador, sempre com um foco na produção artística ligada aos meios envolventes.

Têm sido parceiros: Museu de Lanifícios (Covilhã, Portugal), Museu Vostell (Malpartida de Cáceres, Espanha), Museu do Côa (Vila Nova de Foz Côa, Portugal), Museu do Sabugal (Sabugal, Portugal), Museu Arqueológico (Fundão, Portugal), Museu Gassendi e CAIRN (Digne-les-Bains, França), Universidade da Beira Interior (Covilhã, Portugal), Escola Superior de Arte (Aix-en-Provence, França), Associação Cultural New Hand Lab (Covilhã, Portugal) e Universidade de Denison (Ohio, EUA).

A programação PES 2019 foi promovida pela ADXTUR e Câmara Municipal do Fundão (iNature), e envolveu duas residências artísticas cujas produções (“PONTO ZERO” de Rodrigo Braga e “TARDE FRIA” de Laetitia Morais) são finalmente mostradas ao público. Esta exposição inclui ainda fotografias de Carlos Casteleira sobre a intervenção PIRILAMPOS de Erik Samakh, artista que em 2017 instalou na Região pequenos artefactos electrónicos que simulam pirilampos, simultaneamente simbolizando a resiliência da biodiversidade e a adesão à rede de arte contemporânea PES, construindo uma cartografia in situ dos territórios envolvidos. A presente colaboração com a Universidade de Denison inclui uma residência artística de Erik Samakh e Carlos Casteleira de que resultará a instalação temporária de PIRILAMPOS em Newark, simbolicamente colocando os EUA na rota PES.

Sala de Expo

https://projetoentreserras.wordpress.com/

  • Partilhe